sábado, 15 de fevereiro de 2014

Aranhas Gigantes em Lisboa


Tive a sorte de participar neste anúncio para a banda desenhada "Dog Mendonça e PizzaBoy". Fiquei encarregue de animar as aranhas que vêem.
O 3D não é o meu forte. A única coisa que consigo fazer, mais ou menos, no Maya (o software 3D usado aqui) é animar. Tive alguma dificuldade, mas os erros serviram-me para aprender. A animação e pós-produção foi feita na IRMALUCIA, onde estive entre Outubro e Novembro. Foi muito gratificante ver como a magia dos efeitos especiais acontece, e só tenho pena de não ter prestado mais atenção ao que eles lá faziam. Sim, porque tudo o que vêem em filmes/televisão que não vos salta ao olho teve de ser pensado e trabalhado durante muitas horas por alguém.

Gostava de vos mostrar coisas interessantes mas eu não trabalhava no meu computador, por isso não fiquei com nada a não ser isto:

video


Enfim, eu animei as aranhas mas não faço a mínima ideia do trabalho que foi feito depois para parecerem tão reais e tão bem integradas. Pode ser que um dia me debruce sobre isso e descubra o mundo da pós-produção.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A nossa querida Beyoncé

No outro dia lembrei-me deste vídeo tão engraçado que vi o ano passado. Nunca mais me lembrei dele e no outro dia ao ver o telejornal, numa notícia que afirmava haver um caso entre a Beyoncé e o Obama mostraram imagens deste dia em que ela cantou. Está genial. La Fwai para vocês.



segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Diz que a culpa é da mulher

Hoje no ginásio, estava no balneário a vestir-me e só estava lá eu mais um homem. Ele diz-me qualquer coisa que eu não percebi e volta a repetir: "Isto de confiar nas mulheres....."
Convém dizer que ele estava nu. "Então, esqueceu-se de alguma coisa?" - perguntei. Esqueceu-se da toalha. Incrível. Com aquela idade é a mulher que lhe prepara a mochila para o ginásio. E só me disse isso para se desculpar da figura que ia fazer a seguir. Eu, super simpático como todos me conhecem (...not), ofereci-me para ir à recepção buscar uma toalha para ele. "Não, eu safo-me, obrigado", e agarra no secador do cabelo e começa a secar o corpo todo com aquilo.

Óh valha-me Deus! Há com cada um. E ainda teve a lata de dizer que a culpa era da mulher. Acabei a sugerir-lhe que começasse a fazer uma lista e ir colocando check. Mesmo que a culpa fosse da mulher, quem é que entra no banho sem abrir a mochila e levar a toalha?



Bem, eu já tive uma situação mais preocupante. Há um ano atrás tinha ido para a natação. No fim, quando voltei ao balneário, não conseguia abrir o cacifo porque o cadeado foi o meu pai que me comprou....é claro que deve ter comprado o mais barato e rasca, provavelmente do Lild. Aquilo mudou o código e os números que eu tinha já não dava. E assim estava eu em fato de banho enrolado na toalha. Passou-me pela cabeça ir a pé até casa embrulhado na toalha. Achei mais sensato pedir ajuda lá ao funcionário que foi buscar um alicate e me rebentou o cadeado.

Desde então que tenho um cadeado novo e sou feliz.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Devia estar a trabalhar...

...e estou a brincar, A culpa é da Cintia. Ela é que quis brincadeira.

video

Vá, já chega. Bora lá trabalhar.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O que se faz às 3 da manhã?

Quando não se tem nada para fazer........desenha-se.


Este aqui está com um ar de coitadinho.


Parem de ser bonit@s

É tanta beleza junta que até mete nojo.
Desde que tenho blog e que ando a espreitar os das outras pessoas que encontro sempre fotografias lindas e incríveis. Algumas com filtros, outras a preto e branco, outras ainda com uma luz de sonho, e por aí adiante. Pergunto-me sempre se as pessoas nas fotos são os donos/donas dos blogs. Fico a achar que sim, mas como ingenuidade é o meu nome do meio, penso duas vezes. 
"Naaaa, provavelmente são fotos aleatórias tiradas da internet. Ou talvez não. Talvez sejam os próprios com um make-up do Photoshop".

Elas são fotos muito sentimentais à janela com uma cortina branca que bate levemente com o vento, são no carro com o cabelo a esvoaçar num dia amarelo de verão, são em contra-luz com o sol acompanhadas de uma frase muito profunda, são no alto da montanha com a impetuosidade de um Deus, na cama com os lençóis mais branquinhos que os dos anúncios do Skip, nas ruas da cidade num dia de chuva que até consegue parecer fantástica debaixo dum maravilhoso guarda-chuva.....esta gente até na casa-de-banho consegue ser bonita e maravilhosa, sem um cabelo fora do sítio e sem uma única olheira. Eu até acho que se se fossem meter numa adega de uma quinta com pocilga, rodeadas de chouriços e alheiras com estrume por todo o lado essa gente continuava a conseguir ser de morrer.

Mas se eles conseguem, eu também consigo! Sim, porque o Pipe é uma Maria Piça. Tudo o que vê cobiça.
Vou tirar uma fotografia tão sentimental, tão profunda, maravilhosa e perfeita que até Nossa Senhora de Fátima vai cair do altar.



Ou então não.

Digam de vossa justiça. Onde vão buscar essa perfeição? Onde se vende? É na Oriflame? É no Lidl? É algum brinde que vem nos iogurtes da Adagio ou nas revistas da Maria? Ou são aqueles shampôos que vocês roubam dos hotéis? É alguma receita que dão no programa das manhãs da Júlia?
Não me digam. Eu já não tenho interesse em saber. Afinal, quem é que precisa de perfeição? Isso é uma utopia. Vamos ficar pelo pensamento medíocre de um underdog e contentar-nos com o que temos...só para me sentir melhorzinho.

Portanto, peço desculpa, mas este blog vai continuar imperfeito. Com umas fotos mesmo catrafonas e bardajonas. Juntem-se a mim nesta guerra contra pessoas lindas (se na rua passarem por algum ser desta espécie façam-lhe aquela coisa com a língua como as cobras, psssssssss). Vamos todos dar as mãos e ser camafeus medíocres.

A minha nova escrava chama-se Cintia

Há coisa de duas semanas adquiri uma Cintiq (um monitor/tablet onde se desenha directamente no ecrã). Não conseguia ligá-la porque me faltava um cabo e depois de uma data de dias numa loja de informática (com situações que dava para escrever um post inteiro), finalmente tenho-a pronta. Estou a delirar. É a minha escrava nº 2. A nº1 é o GPS, chama-se Mikelina e é ucraniana. Já a Cintia, parece ser Francesa. 

Aqui vai o primeiro desenho feito nela.



terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Mais do mesmo

Parece que hoje o Facebook faz 10 anos, que maravilha. Já me tinham dito ontem e confirmou-se no telejornal - o Facebook está a ter uma menor aderência dos jovens por causa dos pais que estão a aparecer por lá.
Só tenho uma palavra a dizer: NÃÃÃÃÃÃÃO!

Na altura do hi5 passava lá o tempo todo e odiava perder a minha vida naquilo. Assisti à migração para o Facebook e decidi não aderir. Não gostava da ideia do Facebook e nunca tive intenções de gastar o meu tempo numa coisa parva dessas. Entretanto, todos os meus amigos tinham Facebook e faziam-me a cabeça para me juntar. Eu argumentava que se metesse lá os pés ia ficar um viciadinho que ninguém aguenta. 

Tentaram seduzir-me. Eu aguentei, aguentei e aguentei. Até que em Março de 2012 conseguiram derrubar a torre. 
Hoje, sou um Facebookiano anónimo e já não tenho esperanças de cura. Por isto custa-me dizerem que agora vão deixar o Facebook para aparecer uma moda nova. Seja qual for a próxima rede social eu JURO pela alma do meu Toshiba que não me apanham lá nem que a burra tussa.

E tomem lá mais uns rabiscos assim num jeito de raiva, só para variar.






sábado, 1 de fevereiro de 2014

Sou tão limitado

Sou tão burrinho, graças a Deus. Muita gente me falava do filme "Inception" (2010). Diziam que é isto e aquilo e fora deste mundo e... ai o Christopher Nolan, meu Deus! Ai, o Leonardo DiCaprio, que apetece apertar-lhe as bochechas e despentear-lhe aquele cabelo lambido, nossa Senhora.

Decidi dar uma hipótese e a semana passada vi o filme...porque deu na RTP1, claro. Se eu fosse sacar o filme acabava por explodir com o computador ou uma cena partida.


Foi engraçado, mas é capaz de ser muito complexo para mim. É que eu tenho um problema com alguns filmes. Se fugirem um pouquinho da estrutura narrativa a que estamos habituados é o suficiente para o meu cérebro ter um vaipe, algumas convulsões, espumar do canto da boca e ficar estendido no chão. A minha carrinha não aguenta tanta areia.

Eu percebi que aquilo é o pessoal que sonha e depois tem sonhos dentro de sonhos que estão dentro de sonhos. E com o que é que o pessoal sonha? Mundos imaginários e impossíveis? Arco-íris cor-de-rosa e unicórnios? Flores e pôr-do-sol? Não. Eles sonham com pistolas e mais pistolas e em matarem-se uns aos outros. Onde é que eu já vi isto? Ahh! Em quase todos os filmes que têm pistolas e pessoal a matar-se.

Anyway, a culpa é minha. Tomem o Star Wars, por exemplo. Passei toda a minha vida sem saber nada sobre essa saga que todos dizem ser gigante (excepto a música do John Williams, isso eu consigo assobiar e cantarolar....no chuveiro). O verão passado decidi deixar de ser inculto e ignorante e vi os três primeiros filmes (aqueles bué antigos, dos anos 70 e 80).
Não percebi nada. Não percebi rigorosamente nada. Sempre que acabava de ver um filme tinha de ir à Wikipedia ler sobre o que tinha acabado de ver. Continuei sem perceber. Dêem-me uma machada por favor. Uma ganda machadona na cara.


Eu só via naves gigantes e depois lutavam. Mais uma nave, uma luta e umas explosões. Aparecia outra nave, luta, explosões, and so on...
Será que se eu vir os restantes três filmes fico mais elucidado, ou isto já não tem cura? Talvez deva esperar pelo novo filme em 2015. No próximo filme é que eles vão fazer-nos perceber a história toda, espero.

Mas o pior, pior, foi "A lista de Schindler" (1993). Não sei o que me deu. Acho que queria enfiar um pouco de cultura dentro do cérebro, mas não coube.
Não sei se foi porque o filme é a preto e branco, ou se foi porque não estava a perceber nada, se foi porque o início do filme é tão longo e monótono ou se tudo ao mesmo tempo. Aos 15 minutos desisti e nunca mais lhe dei outra oportunidade.


Outro filme que não vi até ao fim foi o Pulp Fiction. Outro vaipe de cultura. Eu tenho de parar com isto. Chega Pipe! Não dá. O teu cérebro não é compatível com cultura. É como se o meu sistema operativo fosse um Windows 98 e eu estivesse a tentar instalar o Sims 3. NÃO DÁ!
Mas o Pulp Fiction eu percebi! Ah, esse eu percebi, menos mal. Só não vi porque era feio. Não tenho paciência para ver as pessoas a matarem-se uns aos outros e sangue a escorrer e seringas nos braços e....BLHAAAA! É bué à homem ver filmes com pistolas e matarem-se.......ou entxão não!

Mais filmes....."O Tubarão" (1975). Esse parei de ver na parte em que aparece a cabeça de um homem no buraco de um barco. Não. Não gosto de coisas que me metem medo.

Odeio filmes de terror. Tragam-me os finais felizes e medíocres com um céu azul e o sol a brilhar. Tragam-me os filmes com um valor moral já gasto. Tragam-me o Happily Ever After e tragam-me pipocas. Assim serei feliz.
Sou tão básico que até dá nojo. Sou tão limitado.